Recuo da produção industrial alerta para necessidade de investimento

Recuo da produção industrial alerta para necessidade de investimento

Um recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou para mais um recuo da produção industrial. No mês de setembro, ela caiu em 7 dos 15 locais pesquisados, na comparação com agosto, sendo os estados de Amazonas, São Paulo, Bahia e Paraná os que registraram quedas mais intensas. Por outro lado, o Ceará e o Pará foram os que apresentaram os maiores avanços no mês. Esse cenário, fortemente influenciado pelas mudanças que estão por vir diante do rumo político do país, ao mesmo tempo em que preocupa, deve ser uma oportunidade de fazer com que os empresários passem a analisar com cautela as próximas tomadas de decisão e a realizar investimentos assertivos para acelerar as produções.

Ainda de acordo com os dados coletados pelo IBGE com relação ao recuo da produção industrial, tirando a média do país, a queda foi de 1,8% em setembro, frente ao mês anterior. Uma das questões mais preocupantes é o fato de ser a terceira queda seguida e o pior resultado para o mês de setembro desde 2015. Por isso, é importante que os gestores comecem a planejar estratégias a serem colocadas em prática o quanto antes. Investir em maquinário apropriado é uma das maneiras de tornar o trabalho mais rentável e próspero para os próximos meses. Para se ter uma noção de que isso certamente poderá contribuir, basta avaliar o acumulado no ano e em 12 meses, pois a produção registrou alta de 1,9% e de 2,7%, respectivamente.

As grandes mudanças na política e na economia aos quais o país irá passar a partir do próximo ano possui grande influência nesse cenário de recuo da produção industrial, pois isso traz incertezas aos produtores e consumidores. Diante disso, é natural que exista uma retração no momento de decidir os rumos do negócio, o que faz deste momento uma boa oportunidade de investir. Segundo a Everest, empresa do segmento de máquinas seladoras, aprimorar os serviços e tornar a produção dos itens mais prática reflete na maneira como o produto é entregue ao consumidor final. “Melhorar a qualidade do que é fabricado, certamente aumenta as chances de aquecer a economia, já que os consumidores estarão cada vez mais satisfeitos”, afirma.

O principal recuo da produção industrial se deu novamente em São Paulo, visto que isso já ocorreu em agosto. A queda foi de 3,9% da produção em setembro, exercendo o maior impacto na queda de 1,8% da produção nacional, segundo destacou o IBGE. Embora se trate de apenas um alerta, esses dados devem ser analisados com atenção, já que a indústria no Brasil é responsável pela fabricação de inúmeros bens de consumo, necessários para brasileiros e estrangeiros.

Com fábricas distribuídas por todo o território e com a implantação de sistemas cada dia mais tecnológicos, a produção industrial nos mais diferentes segmentos, seja ele automobilístico, petroquímico, alimentar, soja, xtil, de vestuário, metalúrgica, mecânica, entre outros, não pode parar. Além do lucro, é importante também pensar em investimentos que também contribuam para outras questões como o meio ambiente e o bem-estar dos colaboradores.

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>