everest_blog_julho_inovacao

Que tal inovar na embalagem do seu produto? Confira algumas razões

Estamos em tempos de mudanças constantes, em todos os setores, diariamente surgem novos desafios. Com tanta novidade é comum que a fidelidade do consumidor as marcas fiquem no esquecimento e as empresas precisem se esforçar cada vez mais para conseguir a atenção dos clientes nas gôndolas do varejo, aonde lado a lado, os produtos se confrontam diretamente para serem os escolhidos.  Uma boa forma de ter destaque diante dos olhos e preferência dos consumidores é oferecer algo diferente ou inovador em relação ao que já é oferecido no mercado. O cliente não quer chegar ao supermercado e encontrar os mesmos produtos que sempre vê nas prateleiras, ele quer encontrar coisas novas. Uma boa opção para estas empresas que querem sair da mesmice e ganhar destaque no mercado é investir na inovação da embalagem, ação que sai mais barata que grandes investimentos em marketing e mais prática que modificar o produto.

Inovar na embalagem não significa fazer algo que nunca foi feito, e sim modificar para que ela se torne a mais prática, eficiente e adequada possível ao seu produto. Benefícios extras como maior durabilidade do produto são percebidos e valorizados pelos clientes. Está interessado? Conheça alguns motivos para inovar nas embalagens.

Diferenciação

Produtos semelhantes, com embalagens idênticas e preços parecidos não apresentam valor ao consumidor. Situações como esta fortalecem apenas as marcas que já são líderes do mercado, se este não é o caso da sua empresa, inove. Se destaque por oferecer novidades e maior valor que a concorrência, os consumidores devem perceber este valor para que sua empresa se torne mais competitiva e interessante no mercado.

Inovar o produto sai caro

A Coca-Cola é um dos maiores exemplos de que inovar na embalagem pode sim garantir a marca destaque diante dos concorrentes. Com mais de 100 anos, o produto ainda possui a sua fórmula original, porém a embalagem já passou por dezenas, quem sabe centenas, de transformações.  Essa situação acontece principalmente com produtos que não tem como inovar radicalmente em sua fórmula e que a embalagem é o único fator que pode ser alterado para mudar a percepção do consumidor em relação ao produto. Além de que esta troca é muito mais prática e barata, imagine o quanto uma empresa investiria em pesquisas para encontrar uma nova formulação, formato, composição para seus produtos, a troca da embalagem é algo muito mais simples a ser investido e com impacto imediato nos consumidores.

Primeira referência

Quando o cliente chega a gôndola do mercado para fazer a compra é através da embalagem que ele tem o seu primeiro contato com o produto. O consumidor deve associar ao seu produto a algo bom, inovador, uma referência no mercado, ser visto como algo ultrapassado fará com que suas vendas despenquem rapidamente. Fique atento a este ponto, a tradição é algo bom para o seu produto, mas não deve fazer com que ele fique preso ao tempo, pequenas alterações que não alterem esta percepção, podem e devem ser feitas.

Marca não é tudo

Por mais que a sua marca seja reconhecida e valorizada no mercado, só isso não te garante uma posição confortável para sempre. Seus concorrentes podem inovar e se destacar, caso você estacione no tempo e mantenhas as embalagens desatualizadas. Busque sempre por novidades coerentes ao seu posicionamento e ao que seus clientes querem.

Com todos estes motivos para inovar na embalagem, ficou claro que elas não servem simplesmente para carregar o seu produto não é mesmo? Invista agora no melhor para o seu produto. Que tal embalagens a vácuo? Assim seu produto estará protegido, terá maior durabilidade e os clientes com certeza reconhecerão a sua superioridade. A Everest Seladoras oferece máquinas seladoras para as empresas que pretendem investir, confira as opções em nosso site e peça um orçamento.

everest_seo_junho_esteira

Esteiras transportadoras são fundamentais na indústria, saiba o porquê

Na indústria, a tecnologia é fundamental para acelerar e aprimorar processos, além de possibilitar a redução de custos, maior lucros das empresas e facilitar o dia a dia dos profissionais. Entre todo o maquinário utilizado na indústria, alguns equipamentos são fundamentais, é o caso das esteiras transportadoras. Projetado para movimentar objetos e matérias dentro das plantas fabris, este equipamento torna o processo logístico mais dinâmico e em alguns casos, o torna possível. Já imaginou a quantidade de pessoas que seria necessária para transportar garrafas de refrigerantes de uma grande fábrica durante todas as suas etapas até o consumidor final?  Com uma esteira este processo se torna simples e rápido.

Essencial no transporte, as esteiras transportadoras são utilizadas em vários setores, tais como construção civil (para transportar areia, brita, cimento), alimentício, automobilístico, e muitos outros. Para realizar seu trabalho, normalmente, as esteiras são motorizadas para facilitar a circulação dos itens, principalmente dos mais volumosos ou pesados. O formato destas depende da configuração industrial e também da área que irá ocupar, não possuindo um formato padrão, retas, curvas e cantos são configurados de acordo com a necessidade da empresa.

As esteiras transportadoras podem ser usadas em logística, armazéns e na indústria em geral. Para tanto deve ser colocada em locais estratégicos da empresa para que conecte todos os pontos de interesse. Uma das principais utilizações deste equipamento é a carga e descarga de caminhões, se tornando extremamente útil pela velocidade, praticidade e versatilidade que confere a ação.

As esteiras são fabricadas sob medida para as empresas, visto que tamanho, forma e materiais utilizados na construção precisam ser adequados a atividade destino. As esteiras da Everest são projetadas para serem utilizadas em linhas de produção para transporte de produtos para o túnel de encolhimento ou em outros segmentos apenas para transporte entre os setores. Este equipamentos possuem variador de velocidade controlado por potenciômetro, estrutura em aço, pintura eletrostática e esteira em Armalon ou Emborrachada, além do opcional de rodízios para transporte. Visite o site da Everest, não perca tempo, peça um orçamento e melhores os processos logísticos na sua empresa.

everest_blog_maio_vantagem

Descubra qual a vantagem de ter uma máquina seladora na sua empresa

As máquinas seladoras têm como função criar embalagens seguras e práticas. Com a utilização dessas é mais fácil garantir que um produto se manterá conservado mesmo após longas rotas de transporte ou amplo tempo de exposição. Com maior utilização no setor alimentício, estes equipamentos são utilizados também para selar produtos de diferentes gêneros, graças a variedade de modelos, tamanhos e funções das máquinas disponíveis no mercado. Que tal adquirir uma máquina seladora para a sua empresa? Ainda tem dúvidas? Confira mais informações.

O primeiro passo antes da compra da máquina é avaliar o tipo de negócio em que sua empresa está inserida e as funções que o equipamento deve ter. Para empresas do setor alimentício ter uma máquina seladora irá aumentar o tempo de validade dos seus produtos e preservar a qualidade deles até o momento da venda, se você tiver um restaurante que vende pratos pré-fabricados, uma seladora pode armazenar estes alimentos de forma rápida, organizada e duradoura, facilitando a sua produção e o dia a dia dos clientes. É produtor de frutas e legumes? As embalagens a vácuo podem aumentar a vida útil dos seus produtos em até três vezes, preservando todo o sabor, textura e cheiro. Lanchonetes, churrascarias, açougues e outros podem se beneficiar deste equipamento seja para venda dos seus produtos ou armazenamento de matéria prima. Além de estar protegidos de bactérias que transitam pelo ambiente, a aparência dos produtos embalados agrada visualmente os consumidores pela sua aparência mais saudável e higiênica.

Adquirir uma seladora pode ser uma ação estratégica para algumas empresas, ao ter seus próprios produtos com durabilidade maior, o que gera maior retorno e menos desperdícios, alguns empresários adquirem matéria-prima em grande escala, conseguindo melhores preços na negociação e aumentando ainda mais a margem de lucro. As embalagens também podem ajudar a indústria vender seus produtos em larga escala, já que a embalagem apropriada aumentará a qualidade do produto e seu valor mercadológico.

As máquinas seladoras não são equipamentos de porte excessivamente grande, com o tamanho que se adapta a diversos ambientes e uso simples, pode ser adquirida por qualquer empresa. Com voltagem 110V e 220V, não é preciso adaptações para colocá-la em funcionamento. O valor do equipamento varia de acordo com as dimensões, função e acessórios, mas os benefícios e lucros serão maiores que os custos.

Que tal adquirir uma seladora e não ter mais problemas com embalagens por ter que grampear, enrolar ou colocar pregadores? Com mais facilidade e comodidade, sua empresa terá embalagens perfeita. Conheça o catálogo de máquina da Everest Seladoras e peça seu orçamento já, aproveite esta oportunidade de crescimento para sua empresa.

everest_blog_abril_manutencao

Saiba o porquê a manutenção de máquinas seladoras é tão importante

As máquinas seladoras são usadas em diferentes setores da indústria e comércio, é o equipamento responsável pela selagem dos produtos que são comercializados para os consumidores. Tecnicamente, essas máquinas são responsáveis por garantir a conservação de produtos, mantendo-os intactos durante a sua exposição – principalmente alimentos. Por essa razão, o ideal é que a seladora execute a sua função adequadamente para não prejudicar a qualidade final desses produtos que serão comercializados.

Mas para garantir o bom funcionamento dessas máquinas seladoras é necessário manter um cronograma de manutenções preventivas, onde as mesmas passarão por processos que evitem problemas futuros. Essas manutenções serão cruciais ao dia a dia da empresa, pois evitam erros e riscos desnecessários que prejudicam a sua produção.

O que considerar no processo de Manutenção de Máquinas Seladoras

Na manutenção de máquinas seladoras, é importante considerar tanto processos preventivos, como corretivos. Esses processos garantem que as máquinas sejam avaliadas com objetivo de assegurar seu bom funcionamento, ao ponto de evitar alterações intensas e, que inclusive, forçam a compra de novas máquinas para substituí-las.

A prevenção permite que a máquina sofra uma parada programada, para realizar a sua limpeza e estudar os elementos que podem causar algum dano no futuro. Assim, ela será reparada antes que algo ocorra. Já o processo corretivo será executado quando algo errado acontece, este é um processo menos recomendado, pois a tendência é que ele cause prejuízos por exigir o conserto rápido das máquinas e paradas na produção da sua empresa – sem que a mesma tenha tido um aviso prévio de que esses processos de selagem teriam uma pausa. Ou seja, para garantir a eficiência dos serviços da seladora, é fundamental ter o costume de executar os processos de manutenção preventiva, seja higienizando a máquina ou trocando peças desgastadas.

Peças de reposição das Máquinas Seladoras

Para garantir o bom funcionamento de máquinas seladoras é importante analisar as peças das mesmas, e caso necessário, realizar a reposição das peças. A Everest Seladoras oferece máquinas seladoras de alta qualidade com garantia de funcionamento, além de peças de reposição para manutenção preventiva.

Conheça as peças de reposição da Everest. Execute a manutenção programada das máquinas e evite prejuízos.

everest_blog_marco_papel

Respeitar o prazo de validade dos artigos esterilizados é fundamental

Algumas pessoas têm dúvidas em relação ao prazo de validade do processo de esterilização dos artigos com as autoclaves. Contudo, o Manual de Processamento de artigos e superfícies em Serviços de Saúde, do  Ministério da Saúde publicado em meados do ano de 1994, determina um prazo de validade de, no máximo, sete dias, desde que a embalagem do artigo esteja devidamente íntegra e seca.

O problema é que esse prazo passa a ser um pouco rígido, principalmente para pessoas que possuem um ritmo de trabalho acelerado, não podendo fiscalizar frequentemente o prazo de validade dos artigos esterilizados em autoclaves. Além disso, o prazo de sete dias resulta em uma dificuldade de processamento de artefatos, já que ao expirar o prazo, as embalagens devem ser abertas no intuito de fazer os itens serem novamente esterilizados.

A solução para o curto prazo de validade dos artigos esterilizados

Existem alternativas para “sobreviver” ao prazo de validade que fora atribuído na determinação de 1994, como no caso do uso de uma embalagem secundária, que deve ser aplicado logo em seguida do processo realizado a partir da esterilização com autoclaves. A embalagem secundária deve ser aplicada assim que o artigo estiver de fato totalmente resfriado, permitindo que o prazo da esterilização prolongue, e sendo mantido por até 30 dias.

Tecnicamente, esse prazo de validade dos artigos esterilizados é muito incerto, mas segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, o que determina a data limite dos produtos esterilizados em autoclaves (papel grau cirúrgico) é um plano de avaliação que analisa a integridade das embalagens. No caso, essa avaliação pode analisar a resistência das embalagens, condições de umidade e temperatura, além da segurança e rotatividade.

O problema é que essas alternativas podem sugerir um custo relativamente maior, por isso que o ideal seria ter uma política que siga o prazo determinado em 1994, de sete dias, já que atualmente a maioria das vigilâncias sanitárias continuam seguindo o prazo de validade que fora determinado a partir do Manual de Processamento.

everest_blog_fevereiro_tunelshrink

Túnel de Encolhimento Shrink agiliza a embalagem de produtos

Para as empresas que trabalham com grandes produções e necessitam agilizar o processo de embalagem, existem ferramentas que podem facilitar o trabalho diário e aumentar a sua produtividade. O túnel de encolhimento shrink, por exemplo, é uma dessas ferramentas. Este equipamento é uma máquina seladora de embalagens que encolhe diferentes tipos de filmes plásticos – seja o polyvinyl chloride (pvc), poliolefínico ou polietileno (pe).

Esse túnel funciona de maneira prática e rápida, basta colocar o produto embalado sobre a esteira para que o mesmo passe por sua câmara – executando assim, o encolhimento do filme plástico por aquecimento térmico. Contudo, existem outros modelos opcionais para o túnel de encolhimento, que além do aquecimento, podem oferecer uma cúpula extra para resfriamento que gera um melhor acabamento para o produto a ser embalado.

Além disso, essa cúpula extra para resfriamento se torna mais eficiente para o uso de embalagens feitas com os filmes de polietileno, que ao receber o jato frio sofrem uma espécie de choque térmico. Assim, a cúpula extra pode finalizar não apenas o seu processo de encolhimento, mas garante que as embalagens sejam  fortalecidas.  

No caso do túnel de encolhimento da Everest Seladoras, o processo para encolher as embalagens se torna ainda mais prático, pois a máquina é composta por um pirômetro digital que controla a sua temperatura e a variação de velocidade da esteira. Assim, a empresa pode regular o nível de temperatura ou a velocidade da esteira de acordo com sua produção e principalmente, conforme o tamanho da embalagem e espessura do filme plástico.

A utilidade do Túnel de Encolhimento Shrink

O processo de encolhimento que o túnel desenvolve pode garantir maior segurança para os produtos, evitando alterações que tendem a prejudicar sua utilidade e formato, principalmente no caso de alimentos, que precisam ser altamente selados para evitar contaminações. Mas além disso a máquina pode ser usada para os produtos gráficos, comércio têxtil e de cosméticos, produtos farmacêuticos, utilidades domésticas em geral, entre outros.

Solicite o seu orçamento de máquinas túnel de encolhimento shrink, seladora de embalagens da Everest Seladoras e aumente a produtividade dos processos de embalagem dos produtos da sua empresa!

embalagens de frutas e hortaliças

Projeto define novas regras para embalagens de frutas e hortaliças

Um projeto aprovado no Senado no final de dezembro de 2016, prevê a mudança das normas para embalagens de frutas e hortaliças in natura.  O Projeto de Lei da Câmara 203/15 tem como objetivo diminuir os desperdícios e manter a qualidade dos produtos em todo o processo logístico. Hoje em dia, grande parte da produção de frutas e hortaliças é perdida devido aos problemas de embalagem.

A proposta regulamenta que as embalagens designadas para proteção e comercialização da produção hortícola in natura devem ser planejadas para o agrupamento de produtos, transporte de cargas e manuseio adequado durante a colheita, transporte, armazenamento, distribuição e exposição.

De acordo com o projeto, os produtores de frutas e hortaliças devem seguir algumas padronizações que até o momento não existem. Poderão ser utilizadas embalagens descartáveis ou retornáveis, com a objeção que as descartáveis não poderão ser reaproveitadas e as retornáveis devem ser limpas de acordo com as normas higiênico-sanitárias de alimentos a cada reuso. A senadora Lídice da Mata, ainda reforçou que as embalagens de frutas e hortaliças devem ter dimensões que permitam empilhamento como os paletes, por exemplo. Também foram determinadas penalidades para quem infringir às novas regras, como multas, suspensão da comercialização de produtos e apreensão das embalagens.

A proposta segue de volta para a Câmara e a expectativa das entidades envolvidas é que o projeto vire lei este ano padronizando o setor produtivo e garantindo a melhor qualidade a população que consome produtos hortícolas.

checking-food-labels

Conheça as vantagens das embalagens de plástico para os alimentos

 

A embalagem, apesar de ter agregado outras funções, as básicas continuam sendo essenciais, como por exemplo conter, proteger e viabilizar o transporte dos produtos. Hoje em dia, também tem a função de comunicar e atrair novos clientes.

 

Todas as embalagens são um ponto essencial para proteger todos os produtos, além de garantir à sociedade que eles são apropriados para o consumo, principalmente em relação à saúde. Garantir uma alimentação saudável para os seus clientes, também é um atributo das embalagens de plástico, proporcionando segurança alimentar.

 

Graças a sua versatilidade, as embalagens atendem aos requisitos para proporcionar um produto de qualidade para os consumidores. Eles mantêm e conservam os alimentos perecíveis por mais tempo. Isso reduz o desperdício, e principalmente, a utilização de conservantes, mantendo o valor nutricional e sabor.

 

Todo cliente se sente feliz com embalagens que trazem todas as informações e proteção, assim ele sabe o que está consumindo. Mas como falamos anteriormente, não é o bastante, nos dias atuais precisa de mais. A comodidade e a praticidade são um ponto muito importante, o plástico pode ajudar o cliente a ter um acesso mais facilitado ao produtos, pois podem ser abertas facilmente, por ser um material mais leve e de muita versatilidade, como de impressão e resistência mecânica adequada.

 

Existem uma grande variedade de embalagens de plástico no mercado, atualmente são utilizados para embalar alimentos o polietileno (PE) e seus derivados (PET, PEAD e PEBD), o polipropileno (PP), o poliestireno (PS) e o ácido poliláctico (PLA). Estes materiais precisam de máquinas de embalagem de qualidade, assim poderá aproveitar ao máximo todas as vantagens.

 

Frutas embaladas

Embalagens pequenas atraem consumidores em busca de economia, praticidade e qualidade

Os hábitos de consumo mudam com o tempo, entre eles o de alimentação. Com uma rotina cada vez mais apertada ou seguindo uma alimentação mais regrada, estamos optando cada vez mais por embalagens menores que são práticas para serem abertas, transportadas em bolsas ou sacolas, podem ser jogadas fora com facilidade, preservam melhor o alimento e garantem a porção ideal do alimento por refeição.

Para garantir todas essas novas características e praticidades, as embalagens ganharam inovações tecnológicas como as máquinas que garantem uma embalagem perfeita, com facilidade e velocidade. Carnes, frios, doces, pães, frutas podem ser embalados em papel filme em instantes, diminuindo o tempo de mão de obra dispensado na embalagem e aumentando o tempo de durabilidade dos alimentos com uma proteção correta e bem feita.

Frutas selecionadas e embaladas, ou vegetais processados e higienizados, em embalagens que conservam a qualidade, sabor e consistência do alimento e facilitam o dia a dia tão corrido daqueles que precisam muitas vezes trabalhar, estudar, mas querem uma alimentação saudável. Essa demanda por produtos em pequenas quantidades e já embalados aumenta o consumo das embalagens. Este mercado representa 30% da população em grandes centros, impulsiona a redução do tamanho das embalagens, o que acaba por aumentar o consumo de material e tempo gasto no processo de embalagens, só com equipamentos de qualidade esses aumentos podem ser reduzidos.

Em tempos de crise, embalagens menores com produtos fracionados e com redução de custo são mais consumidas por aqueles que não abrem mão de tal alimento, mas não pode mais arcar com o valor integral.

Praticidade, economia e qualidade são a garantia de embalagens pequenas feitas de forma correta. Invista nos equipamentos necessários e aumente seus rendimentos.

autoclave

Papel grau cirúrgico: aplicações e recomendações

São diversas possibilidades de embalagem para esterilização em autoclave, entre elas o papel Grau cirúrgico. Usar uma boa embalagem para esterilização é muito importante por várias razões: manutenção da esterilização, organização dos instrumentais a serem utilizados em cada procedimento e fornecer a evidência do processo de esterilização diante a vigilância sanitária e clientes/pacientes.

O papel grau cirúrgico é a embalagem mais usada, atualmente, para esterilização em autoclaves.  Há muitas opções de tamanho, no caso de envelopes e de largura, no caso de rolos (tubulares, bobinas). Com a maior regularidade do uso, o produto tem sido encontrado mais facilmente e com melhores preços. Mas na hora da compra é importante se atentar a alguns detalhes como:

  •         Bom estado de conservação
  •         Registro no Ministério da Saúde
  •         Informações do fabricante

Para lacrar os pacotes antes da esterilização, é necessário o auxílio de uma seladora desenvolvida com alta tecnologia, esses equipamentos são capazes de selar embalagens de qualquer largura com perfeito e fino acabamento.

Robusta, compacta e ágil, seladoras de papel grau cirúrgico são de fácil manuseio, pois possuem controladores eletrônicos de temperatura e velocidade, além de alguns modelos já realizarem também o corte do material. A selagem através dessas máquinas seguem os padrões internacionais e normas de segurança na utilização de embalagens para esterilização.

É importante lembrar que as embalagens de papel grau cirúrgico ou descartáveis de qualquer natureza, constam da lista de produtos proibidos de reprocessar. Isto acontece, pois a embalagem sofre alterações após ser submetida ao calor e vapor da esterilização, perdendo sua eficácia.

encarteladora

Conheça as encarteladoras Skin, seu processo e resultados

Encarteladoras com sistema Skin, são máquinas perfeitas para a plastificação dos mais diversos produtos junto a uma cartela de papelão perfurada e envernizada para ser colado em display para demonstração ou venda.

 

Através do aquecimento do PVC e da sucção de ar o acabamento será da melhor qualidade, o produto ficará imobilizado em uma embalagem segura e mais atraente aos consumidores.

 

A máquina encarteladora Skin pode embalar vários objetos como materiais para construção, auto peças, ferramentas, ferragens, cutelaria, brinquedos, utilidades domésticas, produtos gráficos, entre outros produtos de diversos setores como indústrias, metalúrgicas e comércios com qualidade inigualável e em um processo prático.

 

O encartelamento pode ser feito em produtos separados ou em conjunto. Durante o processo, o objeto a ser encartelado é colocado sobre a cartela de papelão perfurada e envernizada e assim o filme de PVC é modelado sob ambos através de alta temperatura, os plastificando. O acionamento da máquina para realização do processo pode ser manual, com alavanca, ou pneumático, através de botoeira e utilização de um compressor de ar.

 

A Encarteladora Skin da Everest Seladoras oferece controle de tempo de aquecimento, controle de sucção, estrutura de aço, pintura eletrostática, tensão de 220V e Potência de 3200W. Entre em contato conosco e garanta o melhor em encartelamento para os produtos da sua empresa.

Esteiras para logística

A esteira transportadora como vantagem na logística

No universo industrial, todos sabemos que as empresas que mais investem em tecnologia de ponta são as que ganham mais destaque no mercado. Este maquinário veio para facilitar a vida dos profissionais e também para acelerar o processo de produção.

 

Na logística, as esteiras transportadoras tem um papel fundamental na logística das empresas quando o assunto é otimizar. Está máquina foi projetada para dar mais dinamismo para estes setores dentro das empresas, movendo materiais e objetos de forma rápida e segura, sem a necessidade de ter pessoas para carregar, diminuindo qualquer risco de lesão dos colaboradores ou dos produtos.

 

Outro ponto importante é a redução da fadiga dos colaboradores, eliminando o esforço braçal no momento que se emprega o trabalho pesado e de risco para o operador. Assim, o trabalho de transporte e armazenagem ficam mais confortáveis.

 

As esteiras são um maquinário desenvolvido para que as empresas reduzam os custos e produzam  mais, principalmente na mão de obra, podendo transferir os colaboradores para outros setores ou aumentando a linha de produção.

 

A racionalização dos processos de movimentação e estoque dos produtos, consequentemente traz mais rapidez na chegada dos materiais até a linha de produção, permitindo um melhor acondicionamento do material produzido.
No caso da Everest Seladoras, as esteiras transportadoras são fabricadas sob medida para que a sua produção logística seja mais efetiva. Possuindo variador de velocidade controlado por potenciômetro e em uma estrutura de aço. As esteiras podem ser feitas em Armalon ou emborrachada.

Embalagens deve conter informações de

É lei: embalagens devem conter informações sobre ingredientes alergênicos

Desde o começo desde mês de julho, os rótulos das embalagens dos produtos alimentícios são obrigados a trazer as informações sobre os ingredientes que podem ser alérgicos. No Brasil, cerca de 8% das crianças com menos de 6 anos tem alguma alergia.

 

Esta resolução foi aprovada em junho do ano passado, mas a Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estabeleceu o prazo de um ano para que as empresas pudessem se adequar a nova norma.

 

Os dados sobre os alergênicos devem ser colocados logo abaixo dos ingredientes. Todos os avisos devem estar em caixa alta, negrito e com a cor diferente do rótulo, inclusive, a fonte não deve ser menor que a dos ingredientes.

 

Segundo a Anvisa os rótulos devem ter as informações dos seguintes alimentos:

 

  • A Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação (Abia), diz que a nova demanda é válida principalmente para clientes com hipersensibilidade e suas famílias. As informações sobre a composição dos produtos nos rótulos são muito importantes.

 

  • A organização do setor entende que que a oferta de alimentos devam atender  as demandas dos consumidores, além de proporcionar uma dieta equilibrada e saudável e também na transparência que a embalagem deve fornecer.

Acompanhe o Blog da Everest Seladoras, sempre com um conteúdo relevante e informações sobre o mundo das embalagens.

Lata stripetease da Conti

Embalagem de cerveja tem efeito “Striptease”

A ideia da agência WMcCann, era mostrar que “É quando esta lata esfria que o clima esquenta”, como diz o anúncio da Cerveja Conti. Durante os meses de fevereiro e março de 2016, 1.5 milhões de latas foram vendidas nas regiões Sudeste, Centro-oeste e Sul.

 

Seguindo a famosa frase “Quanto mais gelada, mais gostosa”, a agência brincou com esse ditado e criou uma lata que trazia pin-up desenhado. Para mostrar de uma forma atraente para consumir uma das bebidas mais famosas entre os brasileiros, enquanto quente, a estampa está trajando um vestido e assim que estiver na temperatura ideal para o consumo, o desenho está apenas com um biquíni.

 

Para causar este efeito, durante o processo de pintura da lata, uma tinta termocrômica, aliada com um sensor térmico, proporcionam a “remoção” do vestido.

 

Esta brincadeira com a embalagem proporcionou conhecimento da marca, além de gerar uma maior experimentação do produto, mesmo que o cliente não tenha provado, a ação causou curiosidade e aceitação do produto neste mercado tão concorrido.

 

Para proteger esta embalagem durante os transportes, eles mantiveram a selagem com máquinas da linha Shrink, como o Túnel de Encolhimento da Everest Seladoras, um equipamento para grandes produções usadas para  encolher perfeitamente filme PVC, Poliolefínicoe PE.

 

Veja o vídeo da agência: 

d1

Inspire-se com as embalagens mais criativas

Sabemos que as embalagens são parte fundamental para poder conquistar os seus clientes. A criatividade pode significar o sucesso ou até mesmo o fracasso do seu produto. Ser diferenciado pode trazer ótimos resultados, mas é muito importante entender como o seu público se comporta.

 

Listamos algumas embalagens para que você se inspire na hora de pensar em uma nova embalagem ou de um novo produto:

 

Remédio para espinha

Remédio para espinha

A Clearasil inovou de forma criativa com a sua pilula anti-acne. Esta embalagem foi utilizada para promover o seu produto nos EUA.

 

Relógio à prova d’agua

relogio-a-prova-dagua-vert1

Cuidado, precisará abrir a embalagem do seu novo relógio próximo de uma pia. A Festina lançou em 2011 a linha Profundo, indicado para mergulhadores.

 

Suco natural

ed6ab9376501f9bf0a41448415b9ad23

Muitas vezes sucos de caixinha nem sempre são tão bons quanto os naturais. Mas para driblar este pré-conceito dos sucos, Naoto Fukasawa criou embalagens realísticas.

 

Lanchinho para o pet

white-bites-01

Cecília Uhr criou uma embalagem bem personalizada e engraçada para a Whitebites Dog Snacks.

 

Foto: Flávio Ubiali - Ciencia Hoje/UOL

Cientistas da Embrapa desenvolvem embalagem comestível

Um material com características ao plástico, mas que pode ser consumido e até fazer parte da refeição. Ele tem textura, resistência e a mesma capacidade de proteger o produto que o convencional.

 

Este foi o primeiro passo para um campo imenso a ser explorado. Imagine uma pizza embalada neste material composta por tomate, ao levar para o forno e derreter, se incorpora ao produto podendo ser servido desta maneira, sem retirar a embalagem plástica. Ou então aves, embaladas em um plástico que contém tempero em sua composição, enfim, infinitas possibilidades.

Parece coisa do futuro, mas este material já é uma realidade. Pesquisadores da Embrapa Instrumentação (SP) criaram películas comestíveis com diversos alimentos como espinafre, mamão, goiaba, tomate, com a possibilidade de utilizar muitos outros como matéria-prima. O trabalho de pesquisa foi desenvolvido no âmbito da Rede de Nanotecnologia Aplicada ao Agronegócio (AgroNano) e recebeu investimentos da ordem de R$200 mil.

A embalagem é feita basicamente de alimento desidratado, misturado a um nanomaterial que tem a função de dar liga ao conjunto.

Segundo o engenheiro de materiais José Manoel Marconcini, pesquisador da Embrapa que participou do trabalho “O maior desafio dessa pesquisa foi encontrar a formulação ideal, a receita de ingredientes e proporções para que o material tivesse as características de que precisávamos”.

Os alimentos usados como matéria-prima passam pelo processo de liofilização, ou seja, um tipo de desidratação que após o congelamento do alimento, toda a água contida nele se transforma do estado sólido diretamente ao gasoso, sem passar pela fase líquida.

O resultado é um alimento completamente desidratado com a vantagem de manter suas propriedades nutritivas podendo ser feito de diferentes outros alimentos como frutas, verduras, legumes e até alguns tipos de temperos.

Este estudo está há duas décadas em desenvolvimento, já foram testados outros diversos materiais. O grupo começou a adicionar fibras naturais a plásticos sintéticos gerando compósitos com os dois tipos de matéria-prima, por exemplo sisal, algodão, juta, fibra de coco e bagaço de cana foram algumas fibras naturais testadas que entraram na composição. Antes de chegar ao plástico comestível, a equipe de pesquisa ainda desenvolveu polímeros biodegradáveis.

Aplicativo-Melga

Aplicativo ajuda empreendedores de alimentos artesanais

O aplicativo Melga funciona como um marketplace focado em comida artesanal que integra  os comerciantes com o público através de geolocalização e curadoria.

 

Uma plataforma que promete revolucionar os empreendedores de alimentos caseiros, o Melga traz como objetivo diminuir a distância entre o comerciante local e o consumidor final.

Empreender no ramo de alimentação está cada vez mais comum nos dias de hoje, muitas pessoas optaram por um trabalho paralelo e assim aumentar a renda, enquanto outras já iniciaram verdadeiras produções e distribuições. Com o consumidor cada vez mais exigente e a correria do dia a dia, aquele momento para fazer uma comida caseira está cada vez mais raro. Diante desta necessidade, as grandes empresas investiram nos alimentos prontos e gerou grandes resultados, mas de um tempo para cá, a venda destes alimentos caíram.

O motivo é simples: nem sempre estes alimentos eram tão saborosos quanto os caseiras por diversos fatores como os produtos utilizados e seus conservantes. Foi aí que os microempreendedores encontraram uma maneira de entrar no mercado, prometendo comidas mais saudáveis e com produtos frescos. São alimentos mais confiáveis, já que sempre estão bem embalados e produzidos com o máximo de higiene. Além de disponibilizar comidas com as receitas de família, que são guardadas em segredo.  

Com a crise, muitos cozinheiros de final de semana decidiram abrir o seu próprio negócio na sua região. Geralmente se especializam em um tipo de comida. E para facilitar a vida desses microempreendedores, o Melga ajudará a criar um canal para chegar até o consumidor final.

Para ter acesso aos benefícios que a plataforma disponibiliza é fácil, basta baixar o aplicativo e se cadastrar gratuitamente com a cidade que deseja atuar. Todo o sistema possui uma interface muito amigável e ainda oferece auxílio com os textos e imagens. E o melhor: não há cobrança de mensalidade.

As pesquisas mostram que os gastos com alimentos fora de casa chegam a 33% entre comida e bebidas. Além de ajudar o consumidor a descobrir novos sabores, eles também ajudam o empreendedor com total praticidade.

 

melga 1melga-2008-1-s-307x512melga-2008-2-s-307x512  

 

Compras-supermercado

Embalagens econômicas voltam a ser preferência

Em tempos de crise, as embalagens econômicas voltaram a ser preferência dos consumidores. O motivo é bem simples: embalagens maiores proporcionam um desconto maior no valor unitário e as menores são mais baratas. Já as intermediarias perderam espaço na compra do brasileiro.

Em uma pesquisa feita pela Nielsen, especialista em pesquisa sobre o consumidor, mostrou que 20 das principais categorias de faturamento dos mercados como cerveja, refrigerante, carne, leite, achocolatado, entre outras, aumentou em 60% a importância das embalagens com vantagens financeiras para o consumidor final. Como é o caso das embalagens econômicas, onde o consumidor compra mais produtos visando um desconto no valor unitário.

Este cenário leva as empresas a aumentar a produção de produtos promocionais com vantagens financeiras. Uma das soluções são as máquinas da linha shrink da Everest Seladoras, que encolhem  perfeitamente filme PVC,Poliolefínico e PE.

banner-shrinkO outro produto que também cresceu na preferência do consumidor são os que oferecem uma quantidade menor . Assim o cliente leva para a casa uma quantidade menor produto, mas que causa um grande impacto na hora da soma da compra. A importância deste tipo de embalagem já representa cerca de 40%.

Um exemplo é o iogurte, que antes representava cerca de 3% das vendas, no ano passado fechou em 5,4%. Para exemplificar as embalagens econômicas, com mais de um quilo, passou de 4,3% para 5,8%. Para as embalagens intermediarias (361 gramas a um quilo), a queda na participação representa quase dois pontos e meios percentuais, de 66,3% para 63,9%. Mesmo com a ascensão das outras opções, ainda representa a maior parte nas vendas dos supermercados.

Para realizar esta pesquisa, a Nielsen utilizou um painel ligado a 4,5 mil lojas do setor por todo o país, acompanhando a venda de 240 itens.

Este momento foi batizado por especialistas como efeito “ampulheta”, quando os dois extremos de uma mesma categoria crescem e o intermediário reduz a sua participação nas vendas das lojas.  

Este efeito “ampulheta”, também é visto pelas marcas neste momento de crise, separando ainda mais as classes sociais. Quem não foi afetado pela crise ainda prefere as marcas mais caras, enquanto a grande maioria esta optando por marcas de menor expressão.
Neste caso, podemos usar o azeite como exemplo. As marcas mais em conta subiram de 26,6% de 2014 para 28,5% do ano passado. Já os azeites com um valor maior o movimento foi de 33,5% para 44,6% na participação das vendas. As marcas com preços intermediários perderam força nas vendas que eram de 39,8% em 2014 para 26,9% em 2015.  

embalagem

Confira as 4 dicas para uma embalagem de impacto

A embalagem é a primeira impressão que o cliente irá terá do seu produto. Consideradas uma das ferramentas mais importantes para o marketing, a embalagem hoje precisa ter praticidade, alto impacto visual e ser muito atraente.  

Com o consumidor cada vez mais exigente, as empresas precisam renovar de tempos em tempos suas embalagens para se manter no mercado, seguindo principalmente estes pontos citados.

A embalagem deve conter mais do que apenas o seu produto, o objetivo é criar um laço com um emocional positivo entre a marca, o produto e principalmente o consumidor, já que será um dos fatores para a decisão de compra.  

Para que você possa encantar o seu cliente, preparamos quatro dicas para uma embalagem ideal:

 

  1. Verdadeiro valor

A embalagem deve mostrar o verdadeiro valor da marca, nada além disso. Caso o seu produto não seja feito com as melhores matérias primas e com acabamentos caros, não é necessário que ele transmita luxo.

Se você investe em tecnologia, qualidade e inovação, então o seu produto deve dizer isto na embalagem.  

 

  1. Apenas informações necessárias

Não deixe a sua embalagem com muitas informações desnecessárias, isso pode ser um “tiro no pé”, já que o consumidor pode conseguirá ler todas e perder o interesse em conhecer o seu produto.

A embalagem deve comunicar com objetividade o que o seu produto oferece com significado e atitude.

 

  1. Originalidade

O seu produto apresenta um diferencial em relação aos concorrentes?

Se a embalagem não comunicar este diferencial, dificilmente o consumidor irá escolher o seu produto por ele e não fará valer o seu investimento em inovação.

Aprenda sobre os seus concorrentes e estude-os, tanto dentro como fora do Brasil. É importante saber como o mercado se relaciona com produtos do seu segmento. É preciso saber como atrair-los.  

 

  1. Sustentabilidade

A palavra do momento é a chave para que o seu produto se destaque. Praticamente um item obrigatório para começar a ficar em sintonia com a atual situação do mercado.

Uma das maneiras de aplicar a sustentabilidade é a utilização de embalagens recicláveis como papel e plástico.

dentista- everest seladoras

Papel de grau cirúrgico das seladoras impacta na saúde de profissionais e pacientes

Quando falamos em embalagens para esterilizar devemos pensar em todos os equipamentos de autoclave, por exemplo, que vemos nos consultórios, principalmente no segmento odontológico.

A importância de se ter uma embalagem para esterilizar ou papel de grau cirúrgico é de alta relevância em nossos dias, impedindo contágio desde infecções básicas até outras mais sérias, inclusive contaminação por bactérias, em ambientes laboratoriais que utilizam este tipo de papel.

  • O papel de grau cirúrgico é um filme plástico, de forma simplificada. Porém, de acordo com a normatização brasileira, NBR 13386:1995, esse tipo de papel possui certas características que mantém a esterilidade do produto a ser manipulado. “É próprio para embalagem de artigos ondoto-médico-hospitalares a serem submetidos a processos de esterilização”.

rolos de papel cirurgico - everest seladoras

Sua atuação:

  • Manutenção da esterilização,
  • Organização dos instrumentais a serem utilizados em cada procedimento,
  • Fornece a evidência do processo de esterilização perante a vigilância sanitária e clientes/pacientes. A embalagem deve também permitir a entrada de vapor.
  • Verifique sempre o do papel de cirúrgico no Registro no Ministério da Saúde;
  • Data de validade do produto;
  • Presença do indicador químico de processo (vapor) em toda a extensão do rolo;
  • Embalagem com as informações do fabricante;
  • Produto em bom estado de conservação.

Rolos ou embalagens com o auxílio de uma seladora, deixando uma borda para tornar mais fácil a abertura asséptica.

Para organizar os jogos ou kits utilizados em consultório ou laboratório, mantenha seu conjunto de embalagens nesse papel, caixas, ou bandejas, mas elas devem ser perfuradas para permitir a passagem de vapor.

Exemplo de seladora da Everest Seladoras para papel de grau cirúrgico:

ecg1

Com um único operador, ela garante a segurança do lacre do envelope, quando submetido ao processo de esterilização.

  • Largura da solda: 13 mm;
  • Sistema de selagem contínua;
  • Velocidade da selagem: 7m/min
  • Arraste da embalagem por correias sincronizadas;
  • Controle da temperatura através de pirômetro analógico;

Ainda deve-se ficar atento ao fato de que cada autoclave possui um ciclo, às vezes eles variam de acordo com a pressão que atingem. No Brasil, os especialistas explicam que existem duas correntes:

No Brasil: tempo – 7 dias (MS- 1994) e as de validação no serviço (ANVISA 2006 e RDC15). O pacote deve estar seco e em condições para ser armazenado.

A devida atenção às normas, desde a saída da máquina seladora, passando pela autoclave, além da conscientização de equipes e profissionais da saúde pode prevenir muitas infecções e doenças. A prevenção começa pela indústria e segue até seus fornecedores e o cliente final, os próprios pacientes.

macas

Oportunidades e Pacerias

O grupo de estudos de macroeconomia da PwC prevê um crescente número de empresas multinacionais que entrarão no cenário mundial de mercados emergentes, mas não tão já.

Muito poucos estão olhando para além do seu próprio local, mercados, ou, no máximo, os de outros mercados emergentes (normalmente vizinhos). Ao mesmo tempo, há boas razões para argumentar que empresas de logística precisam olhar mais longe do que seu próprio mercado doméstico e os de seus vizinhos emergentes para encontrar o crescimento.

Empresas em mercados emergentes que se concentram em seus mercados domésticos e buscam ativamente novas oportunidades para ampliar suas capacidades de logística e sua competitividade. E enquanto parece improvável que o centro da indústria de T&L (Transporte e Logística) de gravidade se deslocará para emergentes mercados, os jogadores locais principais serão importantes como parceiros e colaboradores para multinacionais do mundo inteiro.

Parcerias futuras

Redes de abastecimento de todo o mundo estão mudando. Novas rotas de comércio estão se tornando realidade. Como mercados emergentes continuam a crescer, haverá uma série de oportunidades para os fornecedores de todos os portes de serviços de logística.

E é aí que a indústria de máquinas seladoras pode entrar em ação, como um parceiro importante para setores como indústria de plásticos, hospitalar, alimentícia, além de estar totalmente relacionada aos armazéns e mecanismos de distribuição, bem como de produção, do setor logístico.

As multinacionais estão acostumadas como uma gama inteira de boas práticas que são comumente usados ??em países desenvolvidos, mas ainda não estão completamente implementadas em muitos emergentes mercados. Estas incluem estratégias de gestão de pessoas, tais como a gestão da diversidade, os sistemas de contabilidade gerencial incluindo o uso de KPIs, compartilhando as lições aprendidas durante processos de liberalização e desenvolvimento corporativo, além de práticas de responsabilidade social e relatórios.

Como nos prepararmos e normas que impactam o setor:

Empresas do segmento de seladoras no Brasil pode começar desde já a criar ferramentas de análise de suas performances. É um setor que envolve muitas embalagens, só para se ter uma ideia há legislações específicas para a área de revestido ou não revestidos.

Ou mesmo sistemas e normas que impactam no setor de seladoras, como a ISO 11607, totalmente importante para a esterilização de embalagens:

  • ISO 11607-1: 2006 especifica os requisitos e métodos de ensaio de materiais, sistemas de barreira estéril e sistemas de embalagem que se destinam a manter a esterilidade dos dispositivos médicos esterilizados terminalmente até ao ponto de utilização.
  • ISO 11607-1: 2006 é aplicável à indústria, aos serviços de saúde, e onde quer que os dispositivos médicos são colocados em sistemas de barreira estéreis e esterilizados.
  • ISO 11607-1: 2006 não abrange todos os requisitos para sistemas de barreira estéril e sistemas de embalagem para dispositivos médicos que são fabricados assepticamente. Requisitos adicionais podem também ser necessários para combinações droga / dispositivo.
  • ISO 11607-1: 2006 não descreve um sistema de garantia de qualidade para o controle de todas as fases de fabrico.

O setor de embalagens é um parceiro de extrema importância ou até vital para o segmento de máquinas seladoras, portanto estarmos atentos às legislações e novas necessidades dessa e de outras áreas que fazem parte da nossa cadeia de produto, é uma lição de casa a ser feito.

De acordo com a PWC, e seu estudo, as multinacionais e os mercados emergentes estarão em ponto de maturidade em 2030, mas a julgar pela necessidade de retomada da economia brasileira quem conseguir sair na frente dos demais, poderá não só se manter, mas ainda criar oportunidades e parcerias num futuro não tão distante quanto o previsto pelo estudo.

rolos de plastico - everest seladoras

Cadeia de produção de plásticos busca tecnologia e sustentabilidade

Na última Fispal Tecnologia a indústria de plásticos demonstrou sua atenção em relação à sustentabilidade do segmento de embalagens plásticas. Grandes eventos como este do setor de alimentos e embalagens ainda caminham para que o Brasil possa desenvolver tecnologias sustentáveis no segmento plástico.

Houve lançamento de um tipo de plástico verde (polietileno), com filmes confeccionados a partir de etanol da cana-de-açúcar e resinas de “última geração”, o que permitiu que o peso da embalagem reduzisse em 16%. Mesmo com a menor espessura, testes em laboratórios do CETEA (Centro de Tecnologia de Embalagem) demonstraram que as bolsas feitas com este tipo de plástico conseguem transportar produtos de elevada fluidez, e ainda por grandes distâncias.

O melhor de tudo é que esse tipo de plástico é reciclável, pois o CO2 capturado durante sua produção permanece ficado durante o ciclo de vida do plástico. A resina utilizada também é renovável.

Ainda dentro da cadeia de produto relacionadas ao segmento plástico, a área logística internacional busca processos que agilizem a distribuição e movimentação de embalagens plásticas nos armazéns. As grandes empresas de logística buscam o que chamam de “unitização”, ou seja, algumas aplicações de ferramentas manuais, as cintas de plástico, bem como os selos de metal são conjugados para criar uma única embalagem a ser transportada dentro do armazém.

As empresas de máquinas seladoras estão dentro deste processo de otimização tanto do empacotamento quanto da agilidade de produção, modelos como a seladora de pedal, robusta para selagem de plásticos (PE, PP) possuem capacidade para selar 4 mil embalagens por dia, num período de 8 horas.

Uma pesquisa global demonstra o quanto ainda o mercado buscará até 2018 novas formas de bioplásticos que sejam sustentáveis e agreguem valor para toda a cadeia de fornecedores, distribuidores, seladoras e embalagens.

Foco na evolução do setor de plásticos e seladoras

O melhor de toda evolução no segmento é que as empresas também evoluirão e ganharam implementos durante o processo, será um reforço para a pequena e média indústria nacional. E bem sabemos o quanto a indústria precisa de impulso, dada à crise deste ano.

Se comparamos como o mercado se comportou no ano passado, segundo dados da ABIEF – Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis, em 2014, a produção brasileira de transformados plásticos movimentou R$ 59,9 bilhões, e foram consumidas 7,24 bilhões de toneladas do produto.

Seladoras e todos as demais empresas que atendem este segmento impactam também em outras indústrias como a de construção civil, alimentos e bebidas, além de automóveis e peças que são os principais setores que dependem dos transformados de plástico: juntos, somaram 47% do consumo de plásticos em 2014.

 

everestseladoras- transportadoras-chamada

Segmento de transporte de mercadorias na indústria e inovações evoluíram muito em 3 anos

Se 2013 foi um ano de conscientização do que importava em termos de modern material handling, nos quais se incluem as esteiras transportadoras, por exemplo. No ano seguinte, a indústria mundial ainda caminhava para um investimento discreto, percebendo que a necessidade de implementação do sistema, porém os números mostravam muito pouca evolução na prática.

Vamos acompanhar os dados de 2013 e 2014 que a Grupo de Pesquisa Peerless (PRG) analisou junto à indústria do setor.

Em 2013 – primeiras observações:

As empresas respondiam à pesquisa com dados genéricos sobre como viam seu segmento:

  1. maior flexibilidade de projeto; facilidade de mudança de hardware e controle de programas;
  2. características de transporte inteligente;
  3. facilidade de limpeza;
  4. alimentação lote, velocidade e velocidade variável.
  • 78% usam sua própria equipe de manutenção,
  • 11% têm um contrato de serviço com um terceiro, e 6% têm um contrato de serviço com um

fornecedor. Apenas 10% relataram que eles estão terceirizando a reparação e manutenção dos seus equipamentos de transporte, o mesmo percentual em 2010.

Sustentabilidade – o conceito que já surgia há dois anos atrás

Pela primeira vez em três anos, uma maioria dos entrevistados (52%) disse que eficiência energética seria extremamente ou muito importante no que se refere ao seu sistema de transportado, enquanto outros 39% classificou o item como pouco importante. Apenas 9% relataram que não era muito importante. Ainda 49% pretendiam investigar incentivos fiscais para a energia eficiente.

pesquisa-sobre-transportadoras-everestseladoras

Análise dos gráfico acima: Dados de 2014, acima, mostrando que havia uma hesitação por parte do segmento de sistemas de transporte, pois 31 % pensavam em criar melhorias nos 2 anos seguintes, em contrapartida 37% afirmavam não ter nenhum plano de mudança. Talvez, como um reflexo da possível crise econômica que viria em toda economia mundial no ano de 2015.

 

 

Comparando com 2014

Confiabilidade permanecia no topo da lista como muito importante (91%) ou um pouco importante (8%) a quase todos os inquiridos. Com isso em mente, não é nenhuma surpresa que 99% dos entrevistados diziam também que o tempo de atividade é muito (83%) ou um pouco (16%) é importante; ou que 98% indicam que a facilidade de reparação e de manutenção é muito (76%) ou um pouco (22%) importante.

  • A maioria estava mais preocupada com custos dos equipamentos, além de não observarem importância em flexibilidade do projeto ou mesmo de integração com outros sistemas de transporte.
  • De menor importância ainda eram a reputação do fornecedor, classificada como muito importante por apenas 53% dos entrevistados. Em 2014, cerca de 40% dos inquiridos planejavam aumentar a quantidade de equipamentos de transporte nos próximos dois anos; apenas 5% estavam planejando reduções. Vinte e seis por cento (26%) deles disseram que iriam aumentar o uso de equipamento de triagem.
  • A pesquisa demonstrou que as despesas previstas para sistemas de transporte, peças e acessórios nos próximos 12 meses eram de $ 233.875 em comparação com $ 236.480 em 2013.
  • Ambos os anos (2013 e 2014) mostraram um aumento acentuado, sendo que 21% das indústrias planejavam gastar mais do que a média, incluindo 12% que pretendiam gastar mais de US $ 1 milhão em sistemas de transporte nos próximos 12 meses.

E como ficou 2015

De acordo com nova pesquisa da Market Insights futuros, o mercado global de sistemas de transporte é esperado para testemunhar um CAGR constante de cerca de 3% -4% para o período de 2014-2020.

Automação em todos os segmentos industrial tornou-se parte integrante das operações industriais, o relatório continua, fornecendo uma solução de transporte rápido e preciso com um alto grau de segurança.

A crescente demanda por sistemas de manuseio de materiais de baixo custo e aumentar a automação no setor industrial são dois dos principais fatores impulsionadores do mercado de sistemas de transporte global. As indústrias automobilística, varejo e alimentos e bebidas em desenvolvimento também tendem a alimentar o crescimento do mercado de sistemas de transporte Ásia-Pacífico. Europa está dominando o mercado global de sistemas de transporte no presente e tem uma grande rede de abastecimento sistema de transporte com amplo canal de distribuição. A Europa é provável que mantenha seu domínio sobre o mercado de sistemas de transporte mundial no final do período de previsão. E aqui estamos nós, para a região da América Latina era esperado que os sistemas de transporte mais rápido tivessem crescimento nas economias emergentes, como o México e o Brasil, onde o setor industrial demonstrava crescimento.

As empresas internacionais passaram a operar o manuseamento de materiais de forma mecanizada e automatizada em seus sistemas de fabricação, armazenagem e centro de distribuição neste ano. Porém ainda de forma geral há uma necessidade tanto lá fora como aqui de treinamento por parte de colaboradores em relação aos softwares que mapeiam as mercadorias.

Para 2016 esperamos um crescimento em treinamento de equipes e uma maior unificação entre os sistemas de manuseio e transporte das mercadorias, claro, conforme as economias nacional e internacional se recuperarem. O importante é que houve um grande salto de amadurecimento de 2013 para o ano que virá, e essa consciência já foi um passo significativo para o segmento.

As linhas pretas na fita indicam que o equipamento dentro do pacote é 100% estéril. Cada peça é marcada com a data de esterilização e o número do funcionário que realizou o processo. Créditos: Wyoming Medical Center Org

Máquinas seladoras são aliadas no controle de descontaminação em áreas de saúde

Qual é o objetivo da embalagem de Instrumentos antes de Esterilização? Ora, é a contenção do produto através das diferentes fases do processo de descontaminação.

Para permitir a esterilização e também para proteger o produto durante a esterilização e o transporte da deterioração e danos. E é claro, evitar a contaminação do produto após descontaminação.

Há uma variedade de materiais de embalagem disponíveis para instrumentos cirúrgicos individuais. A escolha do tipo e tamanho dependerão do item a ser embalado.

A vedação de bolsas é essencial para garantir que o produto permaneça estéril após a autoclavagem. Em bolsas de auto-selagem, o adesivo é fabricado no interior da extremidade aberta do saco ou superior lisa, e uma máquina de selagem a quente ou fita de autoclave é então necessária para criar uma vedação.

A embalagem também fornece proteção durante o transporte e armazenamento. A embalagem protege os bens esterilizados de recontaminação durante o transporte e armazenamento. As unidades de embalagem devem ser mantidas tão pequenas quanto possível, porém com etiquetas indicando o conteúdo, data de esterilização, número de lote, e indicador de esterilização.

Diretrizes e Recomendações

Os sistemas de embalagem devem ser avaliados antes da compra, para assegurar que os itens a serem embalados possam ser esterilizados de forma específicas e /ou via métodos de esterilização compatíveis também.

É importante que seladoras que lidam com o cirúrgico possuam, por exemplo, um único operador, o que garante a segurança do lacre do envelope, quando submetido ao processo de esterilização.

  • Os sistemas de embalagem devem ser compatíveis com o processo de esterilização específico para a qual eles foram concebidos.
  • Os materiais de embalagem devem ser armazenados e processados para manter as qualidades necessárias para a esterilização.
  • Conteúdo da embalagem deve ser montado, manuseado e envolto numa apresentação asséptica de conteúdo do pacote.
  • Pacotes de bolsa de papel plástico devem ser usados de acordo com as instruções escritas do fabricante.
  • Design, materiais e construção do dispositivo de contenção (por exemplo, recipientes rígidos, como instrumentos, gavetas e bandejas organizadoras) devem ser considerados antes da seleção, aquisição e utilização.
  • Um indicador químico ou elemento integrador deve ser colocado no interior de cada pacote, sendo tal indicador químico externo afixado no exterior de cada embalagem a ser processada.
  • Por fim, um programa de gestão da qualidade da organização de saúde deve incluir a seleção embalagem estéril e uso.

Políticas e procedimentos para a seleção e utilização de sistemas de embalagem devem ser escritos, revisados periodicamente e prontamente disponíveis para os especialistas que irão manipular tais conteúdos ou embalagens.

Desta forma, tanto as empresas de máquinas seladoras, quanto seus clientes do segmento cirúrgico e hospitalar poderão manipular materiais de toda espécie com a precisão que este sistema de saúde merece.

No ciclo abaixo detalhamos as etapas de descontaminação, em sete estágios, a saber: uso do conteúdo ou material, limpeza, desinfecção, inspeção dos procedimentos, embalagem ou selagem, esterilização e armazenamento.

Como é o ciclo de descontaminação:

sterilization-and-disinfection-14-638_ EVEREST SELADORAS
Fonte: Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC)

O equipamento faz sua jornada a partir dos andares do hospital, incluindo as salas de cirurgia, ele está pronto para ser desinfectado ou esterilizado. É importante notar que a desinfecção não deve ser confundida com a esterilização. Ambos são processos de descontaminação, mas a esterilização é o processo que remove literalmente todos os microrganismos, em oposição a desinfecção que é creditado com removendo apenas as mais prejudiciais. Cerca de 85 por cento do equipamento processado em SPD passa por esterilização. Várias horas depois, ele está de volta na prateleira e pronto para uso.

Nada é deixado ao acaso. Os carrinhos dos equipamentos sujos são enviados através da máquina de lavar, antes de serem usados novamente e dois elevadores separados, um limpo e sujo, são dedicados a viajar entre SPD e as salas de cirurgia exclusivamente. Todos os equipamentos são primeiro lavados à mão com detergente especial pela equipe uniformizada e com equipamento de proteção adequado. A maioria visível da carga microbiana (um termo que eles usam frequentemente em SPD) é removido neste passo antes de ser enviado através de um ciclo de lavagem de 30 minutos. Por fim é possível realizar os processos de embalagem e esterilização.